O Preço da Gasolina e a Roubalheira na Petrobrás…

“Quando tinha aquela “roubalheira” na Petrobras a gasolina custava 2,69. Agora que “não tem” roubalheira a gasolina custa 5,20. Eu quero a “roubalheira” de volta.”

 

Lí essa frase num comentário de uma amiga numa rede social, ao qual respondí “pois é, assim que o povo deve entender isso tudo…” no que fui imediatamente replicado: “eu sou o povo”. Então me deu uma vontade enorme de responder ao Povo, até porque o tema é mesmo envolto em questões ideológicas e a mim cabe tentar tirar a ideologia da frente e analisar os fatos. E que oportunidade de ouro para explicar isso então, Povo! São vários os aspectos que influenciam o valor do combustível e torço para que vc me leia até o final… e vou usar 02.2016 como base oke? De lá para cá o que aconteceu?

Petróleo: Em primeiro lugar o preço do barril de petróleo dobrou nos últimos 4 anos (o Brent, referencia, passou de 30,00 para 60,00) o que já, naturalmente, dobra o valor da matéria-prima principal para produzir a gasolina. E a “Petrobrás extratora” não pode vender a matéria-prima subsidiada para a “Petrobrás refinadora” porque sería injusto com os 160 milhões de brasileiros que não consomem gasolina diretamente… Bem, voce pode alegar que o combustível entre 2012 e 2014 custava ao redor de R$ 3,00 enquanto o petróleo estava acima de US$ 100,00/barril. Verdade, e os motivos são compreensíveis: esse foi o periodo do “represamento (controle) de preços” e o de maior aceleração na perda de valor pela empresa, que queimava caixa para subsidiar as importações de combustíveis e vendê-los à preço descontado no mercado brasileiro. Uma grande queima de petróleo no caixa da empresa, ao longo de muitos anos culminando no maior prejuízo da história das companhias de capital aberto no Brasil: R$ 21,5 Bilhões de Reais em 2014. A Petrobrás ficou na inusitada situação de ser um monopólio estatal dona de todas as reservas de petróleo do seu país e que perdía valor enquanto o valor do petróleo – seu produto primário – batia recordes de alta de preços. E esse prejuízo foi, em grande parte (80%) causado por inépcia administrativa e comercial (subsidio de combustíveis) e não apenas por resultado da Lava Jato.

 

Balança Comercial e Cambio: Paralelo à isso tivemos um ciclo mundial que contribuiu para praticamente dobrar o valor do dólar no Brasil: se em 2008 (o ano da “marolinha”) o PIB da China, nossa maior compradora de commodities metálicas e agrícolas, crescía acima de 14% ao ano e inundava nosso país com dólares, essa taxa de crescimento diminuiu para menos de 7% ao ano de 2016 em diante (e agora estima-se em 5% para 2020), o que reduziu as compras da China e o ingresso de dólares no Brasil (não fosse pelo nosso querido e chutado e escarnecido agronegócio nossa pauta de exportação estaría muito mal). Oferta e demanda funcionando, quanto menor a oferta de dólares, mais alto o preço da moeda. E uma outra parte dos dólares que entrava no Brasil chegavam através de uma operação chamada “cash & carry” (o chamado ‘smart money’, ou seja, investidores pegavam dinheiro à juros próximos à zero no mercado internacional e investiam aqui a juros reais acima de 10% ao ano), essa operação se tornando desinteressante ao longo do tempo, até porque com a menor entrada de dólares ‘limpos’ e com o cambio livre (só depois de 2016) aumentou a volatilidade das moedas e o risco da operação (“de nada adiantava ao smart money ganhar 10% nos juros contra o Tesouro Nacional mas perder 15% qdo tivesse que comprar os dólares de novo para remeter ao exterior”). Imagina agora então com juros SELIC a 4,5%, o menor da história desse país e com esse desconforto político no qual estamos? Sem chance de entrar dólares novos, nem para investir nem para especular, motivo pelo qual estamos vendo o dólar subir novamente nas últimas semanas e os investidores brasileiros suplantar os estrangeiros na Bolsa… mas isso é outra estória…

Petrobrás – política administrativa e corrupção: E a Petrobrás nisso tudo? Paralelo às exportações em queda e ao dólar em alta instituiu-se na Petrobrás o maior esquema de corrupção já implementado em uma empresa paraestatal no mundo. Corrupção é uma hidra: além do roubo puro e simples do dinheiro público (“contrata-se para fazer por 100 o que gastaría 20, dividimos os 80”) ela tem outra cabeça ainda pior: as decisões administrativas começam a ser tomadas por motivos alheios à boa função da empresa. Projetos são criados com o simples intuito de roubar (veja Pasadena, Abreu e Filho, Comperj!!! (o absurdo da destruição ambiental) e nem vou falar de Belo Monte pq foge ao tema…), sem nenhum critério, num conluio de dança macabra entre políticos buscando dinheiro para suas campanhas eleitorais, a empresa tungada e grandes prestadores de serviços, tipo Odebrechet e… como se chama mesmo, Andrade Gutierrez? Sei… quanto dinheiro não foi investido da forma correta?? A ponto que o Pré Sal se tornou uma montanha que pariu um rato aquático, e um dos motivos pelo qual o petróleo continuou subindo… não houve dinheiro para investir na empresa, muito ocupada em fazer maus negócios para o povo (e bons negócios para seu povo).

Petrobrás e o populismo: E ainda na Petrobrás, em paralelo à isso também houve uma tentativa de subsidiar o preço da gasolina para tentar minimizar o impacto das duas primeiras causas, o que é remar contra a corrente do mercado mundial, pois ninguém em mínima sã consciencia faz isso (sim, a Venezuela o fez, a gasolina mais barata do mundo por anos e anos, e no que deu??) o que fez com que a Petrobrás não tenha sido totalmente privatizada (e nem será) talvez justamente por isso, por ser um cavalo enorme no qual todos os políticos iam lá injetar o veneno da cobra e no dia seguinte sangrar um pouco… e ela é “nossa empresa” povo, nosso patrimônio pago com impostos que todos pagamos, inclusive os que não tem automóveis, que foi sendo sangrada por poucos por muito tempo, todos os dias, a ponto da empresa valer menos que os seus ativos, em 04.02.2016 uma ação da Petrobrás chegou a valer R$ 4,45 (hoje está por volta de R$ 30,00). A Lava Jato veio dar o “beijo da morte”, sim, e pela primeira vez vimos políticos sendo presos por conta dos seus malfeitos e muita gente graúda em Brasilia. Mas isso é Brasil, a gente sabe, voce joga a rede e pega alguns ratos, os que estão alí no momento, muitos escapam. Muitos. Mas isso foi tão invigorante para o povo que o juiz (sem julgamentos) é uma das figuras mais populares entre… o povo!!

Dilma e o momento politico (02.2016): Mas não era só isso!! Do lado da política vínhamos de um processo eleitoral muito rasteiro e de uma grande tempestade que necessitava de um lider político forte, e “política” é o último substantivo aplicado à nossa ex-presidente. Recém eleita resolveu implementar, junto com Mantega e Coutinho, sua “Nova Matriz Econômica”, um arrazoado sem lógica de medidas macroeconomicas com forte intervenção estatal na economia, reeleita dobra a aposta. Dentre as várias medidas adotadas existia a figura dos Campeões Nacionais, empresas escolhidas à dedo (dedo… sim…) que tomavam empréstimos no BNDESpar (não do BNDES) à juros subsidiados, mas tudo dentro das leis, e que bom que as leis são divinas e perfeitas!  JBS (envolvida em inúmeros escândalos), Oi (quebrada, lulinha), OGX (falida, Eike, precisa dizer mais?), LBR (quem???), Fibria (salvou a Aracruz) e segue a fila. E se uma mão passa as malas de dinheiro a outra mão dá à conta-gotas: o grande erro técnico foi se multiplicando até nos financiamentos para caminhões para gente que aguardava um crescimento econômico que nunca mais veio, surfistas sentados nas suas pranchas numa praia seca, caminhoneiros sem carga. Dois anos atrás grevistas caminhoneiros, hoje motoristas de Uber (esse é um caso real, lamentável mesmo, uma familia destruida, um de muitos, o melhor funcionário de armazém de uma transportadora que me prestava serviços e a quem eu quería muito, pediu demissão, fez acordo, deu entrada num caminhãozinho… hoje é mais um no Uber, conseguiu comprar um voyage…)

Empossada, cereja do bolo, pecado dos pecados: para assumir a Economia chama Joaquim Levy, que havía sido dispensado pelo governo Lula,  um capitalista liberal (meio atrapalhado, nem eu mesmo sei se ele é isso) mas oposto ao que preconizava a candidata durante toda sua campanha. Vai entender. Ninguém entendeu. Deu no que deu. Dilma perdeu o cargo. Foi gopi? Sim, todo impeachment é um gopi, mas ela não fez nada contra isso, se apoiou na sua burocracia para domar um problema político e lhe faltou bom senso (na verdade lhe falta mais do que isso). consegue ver os antecedentes lá trás no tempo, povo meu querido?? Taí o Tramp para provar que um impeachment é um movimento político…

E a coisa vai vai vai, como num filme, nunca numa fotografia. A Lava Jato fez bem de tirar as sanguessugas do cavalo, a que preço é para ser questionado, mas nunca questionado o que foi feito a menos que voce, povo, goste de ser roubado ainda que pagando R$ 2,69 o litro da gasolina. O pessoal de Itaipava (distrito de Petropolis, região serrana do estado do Rio) que vendía 40kg de lagosta por semana e agora nem 10 deve concordar com isso, sentem todos muita falta da turma da Petrobrás… perdulários, não contavam dinheiro, era festa para todos, era festa atrás de festa… bons tempos quando essa elite vinha visitar minha cidade…

Enfim povo, de coração, espero talvez ter exposto os motivos pelos quais a gasolina está nos desagradáveis R$ 5,20 (sendo 50% impostos) e não à R$ 2,65, e que esse argumento é falacioso (e um pouco egoista, afinal somos 210 milhões de habitantes com uma frota de 37 milhões de automóveis, se estes carregarem todos os dias a média da familia brasileira (2,1 pessoas), teremos transporte para menos da metade da nossa população). Não é justo subsidiar a gasolina, quanto mais sabendo que a realidade é muito mais perversa do que a média (posso intuir que uma familia com 7 indivíduos na periferia de uma grande cidade não possuí mais que um automóvel, e que os automóveis que saem dos edificios em SP que oferecem “4 quartos + 4 vagas de garagem” rodam bem mais vazios. E ainda que eu rode 40.000km/ano, pelo menos no meu ponto de vista preferiria gasolina a 6,00, comida a 1,00, economia crescendo a 3% e GINI descendo 3 por ano, pois, de uma certa forma, o valor da nossa gasolina tb é reflexo da não existência dos nossos trens, do nosso serviço público de transportes, da economia e do que cada pessoa tem livre no final do mês para gastar…

Por fim, isso é uma ode ao governo atual? Longe disso povo, voce sabe, eu brigo com isso, sou um social-democrata que é a categoria de gente mais old fashion do mundo. Os radicais (radicais = aqueles que veem os fatos mas preferem acreditar na sua versão) de esquerda me chamam de vendido, que defendo o livre mercado (defendo a liberdade! 10 anos de Europa me fez um “mal enorme”), os radicais de direita me chamam de socialista porque eu digo que a grande doença desse país chama-se “distribuição de renda” (e os Austríacos batem na tecla de que o problema é “apenas” a “miséria” sem entender que deve ser um pouco diferente vc pregar o liberalismo na Suécia e no Brasil, defendo a liberdade! 10 anos de Europa me fez um “mal enorme”).

Marx e Mises podem dar as mãos, e ainda que eu prefira infinitamente o último ao primeiro, a idéia de ambos só existe num mundo de conto de fadas aonde todo ser humano vai operar no seu melhor em prol do outro ou o sistema vai dar conta de, pela extrema liberdade, corrigir tudo… tá, agora me conta outra! O preço da liberdade é a eterna vigilancia. Liberdade com vigilância, com instituições firmes porém sem ideologias (mas também sem escatologias), não para voce não fazer o que voce quer, cada um faz o que quiser e com certeza assim será um mundo melhor, mas para voce não fazer o que me fará dano só porque eu não quero fazer o que voce quer (e a corrupção, o nosso grande cancer, entra aqui).

Tomara, povo, que vc aceite meus argumentos como melhores… eu quero os preços baixo de volta, ou ganhar mais, tudo oke, o que eu não quero mais é a roubalheira de volta… Bjs!

Fontes:
https://br.tradingview.com/chart/?symbol=BMFBOVESPA%3APETR4
https://invst.ly/psv38
https://br.investing.com/commodities/brent-oil-historical-data
https://www.brasil247.com/midia/gaspari-1-bndes-criou-campeoes-de-desastres
https://noticias.r7.com/economia/frota-de-veiculos-no-brasil-e-a-mais-velha-dos-ultimos-18-anos-21042019
https://tradingeconomics.com/china/gdp-growth-annual
http://www.mdic.gov.br/comercio-exterior/estatisticas-de-comercio-exterior/balanca-comercial-brasileira-acumulado-do-ano
https://tradingeconomics.com/brazil/balance-of-trade
https://politica.estadao.com.br/blogs/legis-ativo/a-afonia-e-o-colapso-do-segundo-governo-dilma/
https://www.nexojornal.com.br/grafico/2017/10/16/A-trajet%C3%B3ria-do-pre%C3%A7o-do-combust%C3%ADvel-no-Brasil-nos-%C3%BAltimos-17-anos
https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2012/06/22/petrobras-reajusta-gasolina-em-783-e-diesel-em-394.htm
http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2013/02/petrobras-tem-lucro-liquido-de-r-2118-bilhoes-em-2012-queda-de-36.html

 

No Left no Right no More!

The “discussion” has evolved, has shifted from the old XXth century to a new, more “left/right” to “economic/social”. The more and more we’ll see terms as “economic liberal and socially conservative” (Merz) or “economic socialist and socially conservative” or “economic conservative and socially liberal” (Delanoe, NY mayor or governor…)

New economic-political topology, much more adequate to current days.

https://www.theguardian.com/worlkd/2018/oct/31/rightwinger-leads-race-to-succeed-angela-merkel-as-party-chair